9 de janeiro de 2011

Antes de embarcar

Passaporte na mão, vacina contra Febre Amarela tomada, era hora de decidir o que levar, quanto dinheiro e tudo mais. Fizemos um Travel Money (cartão de débito Visa em dólares americanos) por sugestão da agência de viagem, o que mais tarde não se mostrou um bom negócio, mas conto essa história mais adiante. Também levamos dólares que foram desvalorizados pelo Peso Cubano Covertido, moeda utilizada apenas por turistas na ilha de Fidel, assim como as outras moedas também. Levamos cartão crédito internacional, só como emergência, o que mais tarde foi uma ótima solução, mas isso também é outra história.



Como é inverno em Cuba na época que viajamos (dezembro-janeiro) mas o clima é tropical, na mala foram roupas leves, roupas de praia, apenas duas calças para mim e uma para o Márcio, nada de casacos, apenas um bolero para mim, lenços, tênis, bermudas, regatas, etc. A maioria bem confortável e nada de muito luxo já que o lugar não exigia e já que a ideia era passear para conhecer os lugares em Havana e em Varadero passar os dias na praia e no hotel que era do tipo "Tudo Incluído". Calçados levei uma sandália com salto, duas rasteiras, um tênis, uma sapatilha e uma havaiana. Para o Márcio, dois tênis, uma sandália e um chinelo.
No fim das contas, só sobrou roupa minha sem usar, já que sempre levo demais mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário